Emagrecer x perder peso: entenda a diferença

A maioria das pessoas acham que perder peso e emagrecer são a mesma coisa. A visão porém, não poderia ser mais equivocada, como alerta o fisiologista e  Personal Trainer Givanildo Holanda Matias. “Perder peso tem uma relação apenas com a diminuição da massa corporal total, quando é observado o resultado negativo na balança. Já o emagrecimento está relacionado à redução de qualquer quantidade de gordura corporal”, explica o especialista.

“Em alguns casos pode até acontecer da pessoa reduzir seu peso na balança, mas engordar porque a quantidade de gordura corporal ao invés de ser reduzida, aumentou”, acrescenta.

Por isso, se você não está satisfeito com suas medidas, o mais saudável – e eficaz – é procurar emagrecer. Para isso, é necessário encarar um programa de exercícios com predominância de atividades aeróbias, durante as quais a principal fonte de energia utilizada é a gordura.

Junto com isso, também é interessante desenvolver um trabalho para fortalecer a musculatura e não perder a massa muscular.

“Pessoas que só realizam atividade aeróbia correm o risco de, junto com a gordura, perderem massa muscular e isso pode ser considerado como um prejuízo na maioria dos casos”, alerta o fisiologista. Alguns estudos mostram que pessoas que buscam emagrecer apenas à base de dieta, chegam a ter 50% da redução do peso vinda da perda de massa muscular. Portanto, assim como o treino, toda dieta deve ser adequada à realidade de cada um, através de um programa elaborado por um profissional.

Outro problema de quem quer diminuir as medidas é treinar demais sem se alimentar o suficiente. “É comum pessoas que querem emagrecer ficarem mais de duas horas malhando e reduzirrem bruscamente a ingestão de alimentos. Essa situação pode fazer o organismo usar, além da gordura, a massa muscular como fonte de energia”, afirma o personal trainer.

Mas depois de todo o empenho e esforço, como saber se você realmente emagreceu? Para ter essa informação é necessário realizar uma análise da composição corporal, na qual seu corpo será dividido em dois compartimentos – massa gorda, que é todo tecido constituído de gordura, e massa magra, que é o que sobrou, envolvendo principalmente músculos, ossos, sangue, órgãos e vísceras.

“Essa análise pode ser feita por nutricionistas, endocrinologistas ou professores de educação física. Os métodos mais comuns de saber dos resultados são a medição das dobras cutâneas, bioimpedância elétrica e densitometria”, finaliza Givanildo.

Fonte: site band.com.br

Leia Também:
Exercício, alimentação e relógio biológico
Como acabar com o efeito sanfona

Gostou? Clique aqui e Curta nossa página do facebook e fique por dentro de todas novidades do blog!
Mini_Banner_Blossg

Comments

comments